Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Entre Fraldas e Livros

Mãe de dois, licenciada em alguma coisa (pouco) relevante que sentiu a necessidade de expressar preocupações que lhe importam e as aventuras que acontecem por aqui.

Entre Fraldas e Livros

Mãe de dois, licenciada em alguma coisa (pouco) relevante que sentiu a necessidade de expressar preocupações que lhe importam e as aventuras que acontecem por aqui.

24 Fev, 2014

tempos remotos

Apesar de ter tido uma vida académica conturbada e cheia de altos e baixos, de ter sido praxada (nada ao estilo dos infortúnios da Aldeia do Meco) mas de não ter praxada, de ter tido professores com idade para serem meus colegas, de ter tido aulas às 8 da manhã, às 5 da tarde e às 11 da noite, tenho muitas saudades desse tempo.

Sou formada em Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa mas tenho meia licenciatura em Ciências da Comunicação e da Cultura - variante Audiovisual e Multimédia (pré-bolonha, claro - que agora já nem aparece em lado nenhum, é tipo pré histórico).

Dei comigo há instantes a ver e-mails do meu tempo de faculdade com trabalhos, propostas por aprovar de marketing, de planeamentos de aulas, de como nem tempo tinha para respirar, de me lembrar que começava a trabalhar às 9 da manhã e trabalhava todo o dia, saindo do trabalho a correr para as aulas (na maioria das vezes já atrasada), às 6 da tarde para durar até pelo menos às 11 da noite e ainda tinha pica para depois disso ir ao café desanuviar e fazer trabalhos.

Quem conhece o audiovisual sabe que não conseguimos parar. Há sempre trabalhos para fazer, há sempre planificações, storyboards, guiões, requisições de material, guarda-roupa para verificar entre tantas coisas. E isso é que eu gostava.

Sempre fui uma rapariga despachada. Por isso e por mais umas razões quis fazer o estágio em produção. Não só de audiovisual mas também de eventos. Não fiz muito mais quando acabei o curso, nessa área mas porque depois a M. apareceu na figura e, mais uma vez, as prioridades mudam.

Ainda fiz rádio, ainda organizei umas festas mas foi só isso. 

E tenho saudades.... E até tinha jeito... 

Não sei se agora teria coragem de me meter em alguma coisa semelhante mas a frenética de andar de um lado para o outro, de arranjar coisas, de produzir... Isso fazia parte de mim.

É uma possível resolução para um futuro próximo, quiçá.