Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Entre Fraldas e Livros

Mãe de dois, licenciada em alguma coisa (pouco) relevante que sentiu a necessidade de expressar preocupações que lhe importam e as aventuras que acontecem por aqui.

Entre Fraldas e Livros

Mãe de dois, licenciada em alguma coisa (pouco) relevante que sentiu a necessidade de expressar preocupações que lhe importam e as aventuras que acontecem por aqui.

13 Jul, 2016

Mudanças em nós?

Lembrei-me de escrever este post, sem razões específicas e sem targets mas já vi tantas pessoas passarem por isto que, se calhar, se virem exposto parece diferente e é válido para homens e mulheres.

Sabem aquela fase a que chegamos, quando temos alguém de quem gostamos mesmo, mas mesmo muito, que nos faz sentir bem e que nos eleva (nos primeiros tempos, por norma)? Chama-se a isso estar apaixonado/a. É óptimo, lindo, fantástico mas não é para sempre, meus caros.

De amar ao comodismo vai uma distância tão mínima...

Tenho visto casos em que isso é claro e isso aconteceu com um alguém que todos nós conhecemos.

Há sempre alguém que tem uma paixão assolapada, não vê mais ninguém para além da outra pessoa, afasta-se de tudo e todos, muitas vezes incluindo a família, para por a outra pessoa no centro do mundo e vai deixando arrastar. Quando repara, já não está só com essa pessoa mas também com  a mãe, o pai, os irmãos, o piriquito, o cão, o gato, os vizinhos, toda a gente. Já não é uma relação a 2 mas a  2589746 pessoas e depois é muito mais díficil.

Numa relação temos o DEVER e o DIREITO de sermos respeitados, amados, ouvidos. No entanto, é claro que deve ser recíproco. Se não o fizerem ao vosso companheiro, não podem esperar o mesmo.

Não deixem que os vossos sonhos morram ou caiam por terra por causa de alguém. Nunca é tarde para nada. 

Não deixem que vos digam que não ficam bem de branco, amarelo, rosa choque ou verde alface. Se vocês se virem ao espelho, e gostarem da imagem reflectida, se vos der um boost de confiança, cabeça erguida e bora lá.

Uma relação não é sinónimo de uma só conquista. São pequenas conquistas diárias que formam um todo. Não é por já terem aquela pessoa que se vão deitar à sombra da bananeira e descurar em tudo. Pelo contrário, aprimorem a vossa imagem, mas por vocês, não pelo outro. Quando a luta é uma constante e vale a pena, as vitórias sabem tão melhor...

 

Agora que já dei numa de psicóloga, vou voltar para o meu cantinho.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.