Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Entre Fraldas e Livros

Mãe de dois, licenciada em alguma coisa (pouco) relevante que sentiu a necessidade de expressar preocupações que lhe importam e as aventuras que acontecem por aqui.

Entre Fraldas e Livros

Mãe de dois, licenciada em alguma coisa (pouco) relevante que sentiu a necessidade de expressar preocupações que lhe importam e as aventuras que acontecem por aqui.

Pois é caros amigos/as.

Ontem escrevi o post sobre a alteração da minha carta de condução, não foi? A seguir liguei para o sítio onde o fiz e a senhora, extremamente prestável, prontificou-se a verificar o que se passava.

Hoje telefonou-me para me dizer que o IMT está a aguardar a minha visita após o envio de um ofício no ano passado (?!?!) a requerer a minha presença para tirar os dados biométricos e uma nova fotografia.

Ora bem, se eu quisesse perder um dia no serviço tão bom que é o IMT, teria feito isso logo no ínicio.

Pois bem que vos transcrevo a minha conversa telefónica com a MARIA do IMT (deve haver poucas) (foi mais ou menos isto)

A- "Boa tarde. Precisava da sua ajuda. A minha carta de condução ainda não chegou, já a pedi há um ano e meio."

M- "Ahh, mas fez no IMT?"

A- "Não, não fiz. Fiz num balcão em Loures"

M- "Pois, as senhoras vão a essas lojinhas do cidadão que não têm meios e depois queixam-se"

A-  "Bom, essas "lojinhas" terão o mesmo sistema que o IMT, certo? Senão não se poderia fazer lá."

M- "Não, é claro que não. Tem mesmo de vir aqui para tirar uma fotografia e assinar"

A- "Se eu tivesse um dia inteiro para perder e ir para aí, tê-lo-ia feito logo de ínicio. Tem de haver uma outra forma. Com certeza podem dar autorização para fazer a mesma coisa no balcão onde tratei das coisas inicialmente."

M- "É claro que não minha senhora. Tem de vir cá. Eu não sou ninguém para autorizar isso"

A- "Eu acredito que não será necessário ir para aí para fazer uma coisa tão rápida e que demora tão pouco tempo, perdendo um dia."

M- "Pois, mas é. Tem mesmo que cá vir" (imagino pessoas que morem fora de lisboa).

A- "Eu peço desculpa mas no mesmo dia mais 2 familiares meus fizeram pedidos de cartas de condução e receberam nem um mês depois. A minha já passou um ano e 8 meses. E para além de ter pago a peso de ouro a troca dos dados ainda me diz que tenho de ir novamente dar os dados?"

M- "Sim".

A- "E não consegue dar-me outra solução? Eu não tenho um dia inteiro para perder, como todos os portugueses, para ir para aí"

M- "Não, não tenho nada a ver com isso. Isso é um problema seu."

A- "Bom, muito obrigada pelo seu serviço tão prestável".

E desligou-me o telefone na cara.

Ora bem, com isto concluo que:

- o IMT perdeu a minha foto e a minha assinatura.

- os funcionários são idiotas e em vez de ajudarem o público fazem o contrário

- esta Maria merece uma queixa no livro de reclamações

- não vou buscar carta nenhuma e se me mandarem parar tenho a guia que não tem validade e em 2034, data que tenho de fazer a revalidação da carta, logo penso nisso.

Quando os serviços funcionarem decentemente, eu tenho algum respeito, até lá, vão para um sítio onde o sol não brilha.

É o IMT, a segurança social, as finanças.... Tudo o que são serviços públicos metem medo!

Não tenham uma cunha, não, quando precisam de tratar de alguma coisa, que depois vão ver...